NOTÍCIAS

UMA PROPOSTA PARA A GESTÃO DEMOCRÁTICA E SUSTENTÁVEL NAS ORGANIZAÇÕES

INTRODUÇÃO

O controle dos processos produtivos e de serviços para melhorar a qualidade, o meio ambiente, a responsabilidade social, a segurança e saúde ocupacional etc., constitui no desafio de mudar a cultura organizacional. Este aspecto é muito importante, pois controlar a produção e a prestação de serviços implica na observação de atividades que estão fora do foco do negócio, ou seja, o empresário precisa ‘dominar’ a sua especialidade e entender das áreas afins como finanças, marketing, gestão de processos para manter o seu negócio “vivo”.

                Com o passar dos anos, as organizações se viram obrigadas a cumprir mais obrigações, porque as empresas interagem com a sociedade e com o meio ambiente e produzem impactos.

                A proposta da gestão democrática é a quebra de paradigmas das organizações. Mas o que é uma gestão democrática? É aquela que está acessível para qualquer organização, para que sejam incorporadas no dia a dia das pessoas que a compõe o respeito à sua cultura e individualidade, assim respeitam-se o seu limite e maturidade para verificar quais medidas gerenciais precisam ser tomadas em respeito a legislação vigente.

                Qualquer gestão precisa de método para implantação e continuidade, esse é o foco da gestão democrática sustentável. Na proposta de gestão democrática, os requisitos legais obrigatórios precisam fazer parte da cultura da organização.

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE E REQUISITOS LEGAIS

Estes relatórios divulgam indicadores, a fim de informar o seu desempenho socioambiental em um determinado período.

                A conformidade dos requisitos legais orienta os gestores na melhoria contínua e ajudam na prevenção de danos socioambientais e devem fazer parte dos relatórios de sustentabilidade.

RELATÓRIOS DE LEGISLAÇÃO SOCIOAMBIENTAL E AUDITORIA DE CONFORMIDADE

                As organizações precisam atender integralmente as legislações aplicáveis e não há ‘desculpas’ para não cumprir.

Além do cumprimento das legislações aplicáveis, as melhorias do desempenho socioambiental podem e devem ser demonstradas em relatórios de sustentabilidade, principalmente quando resolvem aderir às práticas que reduzam os riscos socioambientais tornando a produtividade eficaz com uso de menos recursos e mais resultados.

                Os planos de ação para corrigir ações não conformes e as de melhoria, em consonância com as ações previstas pelos requisitos legais evidenciados e a auditoria de conformidade anual, reforçaram a importância dos relatórios de sustentabilidade, dá mais transparência à gestão e melhora a confiabilidade no controle dos riscos socioambientais.

Concluindo, a gestão democrática tem que estar acessível a todas as modalidades de empresas e de profissionais para garantir que o negócio seja sustentável para si, a todos os envolvidos.

Marcelo Ferrucci.

Especialista em legislação socioambiental, auditor líder em gestão ambiental e consultor da 2comply e da Biotera.

 

 

BIOTERA NA MÍDIA

Programa Gocil de Gestão de Resíduos.

Site Gocil Segurança e Serviços.

Novos negócios podem surgir para fomentar a cadeia de resíduos.

Mas não de forma paternalista como as cooperativas.

Uniforme reciclado vira peças que geram renda.

Diário Comércio Indústria & Serviços.

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Santo André/SP.

ACIAM - Associação Comercial e Industrial de Mauá.